Open post

CEDECA Ceará se soma às campanhas de doações no enfrentamento ao novo coronavírus

O CEDECA Ceará atua atualmente em três territórios de Fortaleza: Bom Jardim, Jangurussu/Ancuri e Pirambu. Nesses bairros, são realizadas ações de arte-educação e formação política junto a coletivos e grupos de adolescentes e jovens.

Juventude e movimentos sociais das comunidades da periferia de Fortaleza têm mobilizado iniciativas e campanhas para doação de cestas básicas e itens para higienização como forma de prevenção e auxílio às famílias mais vulneráveis que enfrentam o novo coronavírus. O CEDECA Ceará se soma a essas iniciativas e coloca à disposição da população a conta do Pay Pal para facilitar o recolhimento de doações.

Faça a sua doação aqui 
[As doações podem ser feitas por meio de conta do PayPal ou no cartão de crédito]

Quem vai receber as doações
As doações serão destinadas a iniciativas, frentes e coletivos reconhecidos pelo CEDECA Ceará pela auto-organização e seriedade em fazer chegar o auxílio a moradores e moradoras das três comunidades que mais precisam neste momento. Haverá prestação de contas do destino das doações no nosso site.

O que o CEDECA Ceará defende para enfrentar o novo coronavírus
Além das iniciativas de doação, o CEDECA Ceará defende a revogação da Emenda do Teto de Gastos; o pagamento imediato da renda básica a quem mais precisa; a garantia dos empregos de trabalhadores e trabalhadoras; o apoio do Estado para que as famílias possam, de fato, realizar o distanciamento e isolamento sociais necessários; medidas específicas de proteção às populações mais vulneráveis, especialmente crianças e adolescentes em situação de rua e em acolhimentos institucionais, como adolescentes em privação de liberdade.

Open post

III Caravana Cultural mobiliza jovens na luta por direitos

por Suzana Moreira*

A Caravana Cultural das Juventudes carimba a atuação juvenil nas periferias de Fortaleza. Em sua 3ª edição, a Caravana tornou possível a troca de vivências e experiências entre jovens e adolescentes de diferentes territórios da cidade.

Organizada pelo CEDECA Ceará, a iniciativa de intercâmbio cultural e político aconteceu nos dias 30 de novembro e 01º de dezembro, e contou com oficinas e mostra de teatro, divididas em três territórios de atuação do CEDECA Ceará: Bom Jardim, Pirambu e Ancuri.

Para Efferson Mendes, arte educador do CEDECA Ceará, um dos principais objetivos da Caravana foi justamente quebrar barreiras e integrar jovens e  adolescentes de diferentes territórios da cidade com as comunidades. 

O processo da Caravana se apresenta, assim, como momento de culminância das ações do CEDECA em três territórios de Fortaleza. “A ideia foi ter esse momento de troca, que os territórios soubessem o que é produzido em cada lugar, que os meninos também pudessem identificar que as bandeiras de lutas são muito parecidas e que eles podem dialogar, criar estratégias em prol disso, lutando pelas mudanças que eles acreditam ser necessárias. Foram, sem dúvida, momentos potentes”, explica o arte-educador.

Confira momentos da Caravana na seleção de imagens

Uma da principais atrações desta edição da Caravana foi a I Mostra de Cenas de Teatro do Oprimido do CEDECA Ceará, resultado das três oficinas de Introdução ao Teatro do Oprimido, realizadas pela instituição, que reuniu cerca de 60 adolescentes e jovens entre outubro e novembro. A mostra foi o encerramento das atividades desta 3ª edição e aconteceu no Teatro Marcus Miranda, do Centro Cultural Bom Jardim (CCBJ).

Para a jovem Quesia Ramos, participante da caravana e das formações do CEDECA no bairro Pirambu, trabalhar o teatro do oprimido fortalece a coletividade das pessoas e o reconhecimento de seus direitos.

“Você vai perceber como se sair de algumas situações. Quando a gente faz esquetes, por mais simples que sejam, as pessoas vão se reconhecer nelas, e a gente apresentando uma saída para aquilo, elas vão saber que não precisam estar naquela situação de violação, que eles podem reagir. A gente apresenta cenas e as pessoas se reconhecem nelas e isso é o que mais nos deixa realizados”, detalha a jovem.

O que é Teatro do Oprimido?

O Teatro do Oprimido (TO) é um método de teatro sistematizado pelo teatrólogo brasileiro Augusto Boal, cujo principal objetivo é tornar a linguagem teatral acessível para a leitura e a transformação do mundo. Contendo um arsenal de técnicas, exercícios e jogos, o TO se volta para aquelas e aqueles que desejam discutir temas ligados à política, à sociedade, à estética e à ética.

Veja como foi em Caravana neste vídeo:


*Estagiária do CEDECA Ceará sob supervisão de Thiago Mendes

Open post

CEDECA Ceará promove oficinas de Teatro do Oprimido em três bairros de Fortaleza e em Itapipoca

Denunciar as injustiças e anunciar um mundo mais justo e solidário, com muita liberdade para criar. Presente no DNA das juventudes, esse desejo chega no formato de oficinas de Introdução ao Teatro do Oprimido, promovidas pelo CEDECA Ceará para jovens da periferia de Fortaleza e de Itapipoca, Litoral Oeste do Ceará, entre outubro e novembro de 2019.

Serão três oficinas sobre Teatro do Oprimido em Fortaleza, nos bairros Bom Jardim, Ancuri e Pirambu, e uma oficina em Itapipoca (CE). Adolescentes e jovens com interesse em participar devem procurar as organizações parceiras do CEDECA em cada território para se inscrever. Confira datas e locais abaixo. As vagas são limitadas e as inscrições são gratuitas. É preciso ter mais de 14 anos para participar.

Serão apresentadas e praticadas técnicas como teatro-jornal, teatro-imagem e teatro-fórum durante as oficinas, em diálogo com temas trabalhos pelo CEDECA Ceará e entidades parceiras na iniciativa. Em cena, estarão o direito à participação em espaços políticos; espaços públicos como direito humano de crianças e adolescentes e o fortalecimento de territórios para a defesa de direitos. Isso tudo com o objetivo de fomentar o exercício de  “ensaiar no teatro para agir na realidade”.

O resultado prático das oficinas de Introdução ao Teatro do Oprimido será apresentado na I Mostra de Cenas de Teatro do Oprimido do CEDECA Ceará, no dia 30 de novembro de 2019 (sábado), a partir das 16h, no Teatro Marcus Miranda, no Centro Cultural Grande Bom Jardim (CCGBJ), como parte da programação II Caravana Cultural das Juventudes, realizada nos dias 30/11 e 1º/12.

São parceiros na atividade, além do CCGBJ, o Centro de Defesa da Vida Herbert de Souza, a Associação Santos Dias, a Sociedade da Redenção e o Instituto Terramar.

Mais sobre o Teatro do Oprimido

O Teatro do Oprimido (TO) é um método de teatro sistematizado pelo teatrólogo brasileiro Augusto Boal, cujo principal objetivo é tornar a linguagem teatral acessível para a leitura e a transformação do mundo. Contendo um arsenal de técnicas, exercícios e jogos, o TO se volta para aquelas e aqueles que desejam discutir temas ligados à política, à sociedade, à estética, à ética.

Um dos princípios do TO é “desmecanizar”, ou seja, desprender o corpo-mente dos condicionamentos (ações e pensamentos que nos aprisionam em comportamentos e hábitos alienantes) e oferecer uma liberdade criativa para denunciar as injustiças e anunciar um mundo mais justo e solidário.

A ideia das oficinas surgiu depois da participação do Núcleo de Formação do CEDECA Ceará nas Jornadas Internacionais de Teatro do Oprimido e Universidade (VII JITOU), em Salvador-BA, e da realização da II Escola de Formação Política para a Juventude – Arte e Cultura contra a Barbárie.

DATAS, HORÁRIOS E LOCAIS

Grande Pirambu

Local: Centro Cultural Chico da Silva

Parceiro: Sociedade da Redenção (85) 3214-3090

Quando: Às terças-feiras, das 18h às 21h, de 29/10 a 19/11 (4 encontros)

 

Grande Bom Jardim

Local: Shopping Bom Mix

Parceiro: Centro de Defesa da Vida Herbert de Sousa (85) 3497-2162

Às quartas-feiras, das 14h às 17h, de 30/10 a 20/11 (4 encontros)

 

Ancuri

Local: sede da Associação Santos Dias (Rua Coronel José Gomes de Moura, 596)

Parceiro: Associação Santos Dias (85) 3274-5059

Quando: Às quintas-feiras, das 17h às 20h, de 31/10 a 21/11 (4 encontros)

 

Itapipoca – CE

Parceiro: Instituto Terramar (85) 3226-2476

Quando: 09 e 10/11, sábado e domingo (1 encontro)

ONDE ESTAMOS

PARCEIROS E ARTICULAÇÕES

Scroll to top